quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Dinâmicas

Essas dinâmicas são ótimas, tanto para catequese, sala de aula, ou qualquer outro tipo de grupo. E são ótimas para serem realizadas agora no final do ano.


Veja:



1. RECREIO COM CORES

A docente prepara cartões coloridos de acordo com o número de alunos. Exemplo: 04 cartões de cada cor – azul, amarelo, verde, vermelho, branco e laranja para distribuí-los aleatoriamente entre 24 crianças.

Propõe então, um recreio diferente: " Hoje vocês passarão o recreio com os(as) coleguinhas que receberem a mesma cor do cartão que cada um de vocês receberá. É uma oportunidade de nos conhecermos melhor ainda. Será um recreio colorido, diferente e, no retorno, conversaremos sobre as experiências de cada grupo."

A professora distribui os cartões e solicita que antes de saírem para brincar e lanchar, que se organizem nos grupos e conversem sobre a cor recebida (o que ela simboliza para cada um, o que existe nessa cor...)

A reflexão após o recreio é de extrema importância para a construção de alguns valores
2. CORREIO DA AMIZADE

Sortear entre os colegas um "Amigo Secreto", escrever para ele; a turma e a professora vão até o correio e esperam pelo momento da revelação em casa, ou seja, o dia em que as correspondências chegarem nas residências de cada um!

Cada turma fixa uma caixa de correio (feita de caixa de sapato) no lado de fora da porta da sala de aula. Durante um determinado período, as turmas vão trocando correspondências. Para culminar o trabalho, pode-se planejar um piquenique entre elas.

Cada criança escreve um bilhetinho para um colega que "deixou magoado".
3. CANTINHOS

Nos murais de sala, alguns cantinhos podem ser organizados.

Exemplos:

"Recadinhos do Coração" (os alunos fixam bilhetes para crianças que retornam às aulas após um período de faltas, expressam sentimentos espontâneos ou observações sobre as atitudes dos colegas, por meio da escrita ou do desenho... e a docente vai trabalhando e estimulando.)

"Galeria do posso, não posso" (cada aluno confecciona duas telas em pintura expressando por meio de desenhos atitudes de grupo- "posso, não posso".

A professora expõe as telas e discute-se, a partir daí, as normas de atitudes entre os integrantes da turma que irão vigorar durante o período letivo. Dessa forma, o comprometimento é maior, ou seja, são eles quem elaboram as regras.

Os alunos justificam por meio da escrita o porquê de estarem alegres, tristes, com medo...Conforme a percepção da professora regente, ela vai resgatando alguns valores como: companheirismo, amizade, segurança, união, compreensão...


4. VOCÊ MORA NO MEU...

Cada criança escreve dentro do coração o nome de um(a) colega e, em seguida, registra por meio da escrita o que pensa e sente por ele(a). Exemplo: "Você é especial, muito amigo!"

ABC dos valores:

A-AMOR
B-BONDADE
C- CARINHO
D- DEDICAÇÃO
E- ESPERANÇA...

Os alunos opinam, registram e ilustram!
5 - A MINHA LUZ ESTÁ ACESA QUANDO...

Após o conto do livro: "Se ligue em você", os alunos realizam essa atividade, registrando dentro da estrela um BOM SENTIMENTO!

NA ESCOLA:
FICO ALEGRE QUANDO...
SINTO QUE TENHO UM AMIGO QUANDO...
RESPEITO O OUTRO QUANDO...
(Os alunos completam frases como essas em seus cadernos.)
6 - A ÁRVORE DA VIDA

Essa dinâmica foi feita por algumas professoras em reunião com Pais.
Na sala está exposto um desenho de tronco de árvore e na raiz está escrito: "Ser feliz"!

A docente propõe que os pais escrevam uma mensagem de 2º semestre para os filhos, ou para "tal" bimestre.

Solicita, porém, que não registrem o nome da criança e que não assinem (para evitar que alunos, cujos pais faltaram à reunião, se frustrem).

Os pais dobram os papéis que contém as mensagens, colocam-nos dentro das bexigas, enchem os balões e montam a árvore.

Quando os alunos chegam à sala, a professora explora o "presente" deixado pelos pais com seus alunos. É uma reflexão muito válida e os alunos envolvem-se com os compromissos para o determinado período.

Os alunos podem escolher um nome para a árvore e registrar esse momento no caderno.
7 - AVIÃO DA PAZ

Os alunos fazem a dobradura do avião, escrevem mensagens de PAZ e passeando pelo colégio, com a professora, jogam-nos pelas janelas das demais salas de aula. É só aguardar o resultado! Fonte///

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Amigo Secreto dos Catequistas Unidos


Amanhã dia 30 de novembro de 2011 (quarta-feira), dia de...

Dia em que podem começar a enviar seus presentes aos Amigos Secretos, o prazo é de 30/11 à 08/12.

Aguardarei as postagens nos blogs a medida que forem chegando os presentes rsrsrs. Estou super Ansioso.

Está dada a largada.

Abraço bem forte pra todos.

Animando o grupo Professores Virtuais


Professores integrantes do grupo, como vocês já perceberam, nós recebemos novos integrantes, por isso faça uma postagem publicando toda a lista atualizada, para que possamos dar forças na divulgação do nosso grupo.

Agradeço a atenção.

O que é ser Dizimista de verdade?


É isso aí, as pessoas deixam para ofertar na Igreja os últimos centavinhos, e muitas tem a coragem de bater no peito e falar: -EU SOU DIZIMISTA!!!
Isso é algo a se pensar né pessoal? Será que devemos ofertar o resto pra Jesus?

Conheça a importância do Dízimo: 
• O que é Dízimo?
O dízimo é uma contribuição voluntária, regular, periódica e proporcional aos rendimentos recebidos, que todo batizado deve assumir como obrigação pessoal - mas também como direito - em relação à manutenção da vida da Igreja local onde vive sua fé. O dízimo é uma forma concreta de manifestar a fé em Deus providente, um modo de viver a esperança em seu Reino de vida e justiça, um jeito de praticar a caridade na vida em comunidade. É ato de fé, de esperança e de caridade. Pelo dízimo, podemos viver essas três importantes virtudes cristãs, chamadas de virtudes teologais, porque nos aproximam diretamente de Deus. O dízimo é compromisso de cada cristão. É uma forma de devolver a Deus, num ato de agradecimento, uma parte daquilo que se recebe. Representa a aceitação consciente do dom de Deus e a disposição fiel de colaborar com seu projeto de felicidade para todos. Dízimo é agradecimento e partilha, já que tudo o que temos e recebemos vem de Deus e pertence a Deus.

• Que passagens da Bíblia nos falam do Dízimo?
São muitíssimas. Por sua Palavra, Deus nos convida: a confiar nele, que é o único Senhor de tudo; a ser-lhe agradecidos, porque ele é a fonte de todo bem; a colaborar com ele na instauração de uma nova sociedade, em que haja partilha e comunhão de bens, e em que não haja necessitados. Nos textos que seguem, podemos conferir essa divina proposta. A título de exemplo, citamos apenas algumas passagens bíblicas. Veremos, primeiro, que os patriarcas de Israel sabiam reconhecer os dons de Deus e lhe eram agradecidos, oferecendo-lhe a décima parte de tudo o que possuíam: “Abraão deu ao Senhor a décima parte de tudo” (Gen. 14,20). Jacó disse: “Eu te darei a décima parte de tudo o que me deres” (Gen. 28,22). Através do profeta Malaquias, Javé reclama do povo a oferta do dízimo, e lhe faz a ousada proposta de fazer a experiência do dízimo, como sinal de confiança nas graças que somente ele, Javé, pode dar. Diz Javé: “Vocês perguntam: Em que te enganamos?¹ No dízimo e na contribuição. Vocês estão ameaçados de maldição, e mesmo assim estão me enganando, vocês e a nação inteira! Tragam o dízimo completo para o cofre do Templo, para que haja alimento em meu Templo. Façam essa experiência comigo. Vocês hão de ver, então, que abrirei as comportas do céu, e derramarei sobre vocês as minhas bênçãos de fartura” (MI 3,8-10).

• Quanto se deve oferecer de dízimo?

Deve-se ofertar a Deus o que mandar o nosso coração e o que a nossa consciência falar. O Apóstolo Paulo assim escreve: Dê cada um conforme o impulso de seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama a quem dá com alegria (2 Cor 9,7). Os israelitas davam dez por cento do que colhiam da terra e do trabalho. Daí vem a palavra dízimo, que significa décima parte, dez por cento daquilo que se ganha. Veja como Deus é bom. Ele lhe dá tudo. Deixa nove partes para você fazer o que precisar e quiser, e pede retorno de somente uma parte. Assim, todos somos convidados a ofertar de fato a décima parte. Mas é importante perceber o seguinte: dízimo não é esmola, nem sobra, nem migalha, pois Deus de nada precisa. Ele quer nossa gratidão. Ele quer que demos com alegria e reconhecimento e liberdade. O que se dá com alegria faz bem àquele que dá e àquele que recebe.
Deus quer que ofertemos o dízimo com alegria e liberdade. Embora a palavra dízimo tenha o significado de décima parte, ou dez por cento, cada pessoa deve livremente definir, segundo os impulsos de seu coração, sem tristeza e nem constrangimento, qual seja o percentual de seus ganhos que deve destinar ao dízimo a ser entregue para a sua comunidade. No entanto, a experiência tem comprovado que aqueles que, num passo de confiança nas promessas divinas, optaram pelo dízimo integral, isto é, pela oferta de 10% de tudo que ganham, não se arrependeram de tê-lo feito e nem sentiram falta em seus orçamentos. Ao contrário, sentem-se mais abençoados que antes, quando suas contribuições eram proporcionalmente menores. Há muitos dizimistas que dão este testemunho: quanto mais se oferece de dízimo, mais se ganha. Pois, o dízimo é um ato de fé em Deus, que não deixa na mão os que nele confiam. De qualquer modo, cada dizimista deve sentir-se livre diante de Deus para fixar o percentual de sua contribuição. O dizimista não deve preocupar-se com o que sai de seu bolso (se muito ou pouco dinheiro), mas o que sai de seu coração (se pouco ou muito amor a Deus e à comunidade).

• O dízimo deve ser mensal, bimestral ou anual?

Em princípio, o dízimo deve ser oferecido cada vez que se recebe algo: o salário, uma doação ou o resultado de uma venda importante. De modo geral e prático, podemos dizer que a oferta do dízimo deve ser mensal. Assim como você recebe seu salário todo mês, assim também mensalmente deveria fazer sua oferta do dízimo. Por isso, é necessário educar-se para fazer mensalmente a oferta do dízimo. Se o católico, que recebe mensalmente o seu salário, não se educar para o dízimo mensal, ele irá dar, uma ou outra vez, aquilo que sobrar. E isso não é dízimo, mesmo que seja uma grande quantia. Se desse mensalmente apenas 1%, mas com alegria e consciência, seria melhor. Sendo uma contribuição regular e periódica, e proporcional ao ganho de cada dizimista, o dízimo deve ser entregue na comunidade com a mesma regularidade com que acontece o recebimento de seus ganhos. A contribuição mensal de cada dizimista favorece também a organização da Pastoral do Dízimo, na comunidade, na paróquia e na diocese. Sabendo quanto recebe mensalmente de dízimo, a Igreja pode fazer seus orçamentos e previsões, bem como pode prestar contas regulares ao povo.

• Por que, para algumas pessoas, é tão difícil oferecer o Dízimo?

Vivemos numa sociedade em que o dinheiro e o lucro ocupam o lugar de Deus e das pessoas. Jesus Cristo nos adverte que é impossível servir a dois senhores, adorando ao mesmo tempo a Deus e ao Dinheiro (Lc 16,13). Mesmo assim, há cristãos que seguem a proposta do mundo. A sociedade materialista e consumista em que vivemos nos ensina a reter, concentrar, possuir, ter, ganhar, consumir, acumular. Somos incentivados a ter corações egoístas e fechados. O Evangelho, ao contrário, nos ensina que só quem é generoso e não tem medo de repartir o que possui está, de fato, aberto para acolher os benefícios de Deus. São dois projetos bem diferentes: a sociedade consumista e egoísta ou o Reino da partilha e da justiça. É preciso fazer uma escolha entre o Reino de Deus e o reino do dinheiro.

• O que o dízimo tem a ver com Deus?
O povo de Israel foi o primeiro povo da história humana a acreditar em um só Deus, que governa todo o Universo. Foi também, o primeiro povo a acreditar que, se o homem vive, é por vontade e querer desse Deus, que criou o ser humano “à sua imagem e semelhança”. Por esse motivo passou a fazer parte da vida desse povo a retribuição, o agradecimento. Todo judeu oferecia a décima parte de seus bens, como retribuição dos bens recebidos de Deus. Como nós, cristãos, temos nossas raízes nesse povo judeu, herdamos dele certas formas de homenagear o nosso Deus, que acreditamos ser o Pai de todas as pessoas. O dízimo é uma das mais antigas formas de agradecimento do ser humano a Deus. Não podemos deixar de reconhecer que, com o passar do tempo, tais formas de retribuição foram deturpadas. O dízimo, que inicialmente era uma necessidade de o ser humano manter sua solidariedade com seus irmãos e irmãs, através da Igreja, passou a ser uma obrigação imposta pela Igreja dos tempos antigos, perdendo o verdadeiro sentido que tinha no princípio.
{FONTE}

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Lista Atualizada Professores Virtuais 28/11


O grupo está crescendo cada dia mais!
Temos novas integrantes na família, são elas:
Márcia Valéria que além de professora é catequista também, temos muito em comum, o blog dela é: http://cantinhodamami.blogspot.com/ Faça uma visitinha lá no blog dela.

A outra nova integrante é a professora Rosangela do blog http://rosangelaprendizagem.blogspot.com/ visitem ela no blog dela que transborda de ótimos conteúdos e pra mim é um dos raros blogs com qualidade que eu conheço.

Agora outra nova integrante, é a  Viviane Ramos (Pedagoga) do blog http://orientarpedagogos.blogspot.com/ o blog dela é lindo, acessem, tenho certeza que todos vão se encantar.


Sejam todas muito Bem Vindas, e que possamos crescermos juntos, compartilhando experiências no mundo da educação.

O Blog de Vocês estão publicado AQUI.

Quem quiser fazer parte do PROFESSORES VIRTUAIS é só clicar aqui e se inscrever.


MENSAGEM AOS INTEGRANTES DO GRUPO PROFESSORES VIRTUAIS:
Gostaria de pedir que visitassem os blogues que fazem parte do grupo e deixasse um comentário amigo e seguisse o blog acessado. Vamos ser amigos e unidos por um objetivo que é A EDUCAÇÃO. Conto com a gentileza de vocês.
Atenciosamente, 
Jonathan Cruz 

Nunca pare de sonhar

         
Tenho certeza que após ler esta mensagem vão iniciar a semana com pensamentos diferentes, tenho certeza que esta mensagem vai tocar seu coração profundamente.


           Havia no alto de uma montanha três árvores. Elas sonhavam com o que iriam ser depois de grandes. A primeira, olhando as estrelas disse: eu quero ser o baú mais precioso do mundo e viver cheia de tesouros. 
           A segunda, olhando um riacho suspirou: eu quero ser um navio bem grande para transportar reis e rainhas. 
          A terceira olhou para o vale e disse: quero crescer e ficar aqui no alto da montanha; quero crescer tanto que as pessoas ao olharem para mim, levantem os olhos e pensem em Deus. Muitos anos se passaram, as árvores cresceram. 
         Surgiram três lenhadores que, sem saber do sonho das árvores, cortaram as três. A primeira árvore acabou se transformando num cocho de animais, coberto de feno. A segunda virou um barco de pesca transportando pessoas e peixes todos os dias. A terceira foi cortada em vigas e deixada num depósito. Desiludidas as três árvores lamentaram os seus destinos. 
          Mas, numa certa noite, com o céu cheio de estrelas, uma jovem mulher colocou o seu bebê recém-nascido naquele cocho. De repente, a árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo. 
          A segunda, certo dia, transportou um homem que acabou por dormir no barco. E, quando uma tempestade quase afundou o barco, o homem levantou-se e disse PAZ!! E, imediatamente, as águas se acalmaram. E a árvore transformada em barco entendeu que transportava o rei dos céus e da terra. Tempos mais tarde, numa Sexta-feira, a árvore espantou-se quando as vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela. 
         A árvore sentiu-se horrível vendo o sofrimento daquele homem. Mas logo entendeu que aquele homem salvou a humanidade e as pessoas logo se lembrariam de Deus ao olharem para a cruz. O exemplo das árvores é um sinal de que é preciso sonhar e ter fé. SEMPRE !!! 
         Não importa o tamanho dos sonhos que você tenha, sonhe muito e sempre. Mesmo que seus sonhos não se realizem exatamente como você desejou, saiba que eles se concretizarão da maneira que Deus entendeu ser a melhor para você.

domingo, 27 de novembro de 2011

Pesquisa do Blog Jonathan Cruz



Me ajude a fazer um blog cada vez melhor. Para que ao acessarem o Blog Jonathan Cruz, vocês tenham o prazer de acessa-lo. Indico à todos os colegas blogueiros a fazer uma pesquisa dessas nos seus blogs, isso ajuda a melhorar cada vez mais a qualidade de nossas postagens.





































sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Semana da Criança

Pessoal, devido a correria do dia-a-dia, eu me esqueci de postar o nosso encontro de catequese na semana da crianças. Tiramos um dia só para brincadeiras, as crianças adoraram, confira:

(Tia Nanci (Catequista da Pré-Catequese) distribuindo os brindes. Oba!!!)

Dança da cadeira

Olha a vencedora!!!

Quem quer brincar??? eueueueueueu... rsrsrs

Posição para brincadeira...

Olha a turma toda aí gente!!!

Brincadeira da batata

Brincadeira do passa a bola

Atenção!!!

Ganhadoras... fofuxas rsrsrsrs

Agora é a vez dos catequistas. Será quem vai ganhar???

Quem ganhou foi a Tia Conceição... Olha a torcida dela.
Viva!!!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Teatro para pré - catequese e primeira comunhão

Excelente recurso de transmissão da mensagem cristã para crianças. A criatividade, a fantasia, a imaginação, a curiosidade..., são características desta faixa etária e estão (ou, deveriam estar) todas presentes no teatro infantil. Contudo, este recurso deve ser utilizado na catequese para todas as idades. 

O teatro é um meio de comunicação muito importante em todas as culturas pelo seu poder de levar ao conhecimento e à interiorização da mensagem apresentada.
Este recurso foi muito utilizado pelos jesuítas na catequese indígena e foi instrumento de grande eficácia e valor educativo.

Para bem aproveitar o teatro na transmissão da Boa Nova de Jesus, não podemos perder de vista que nada será mais importante do que a própria mensagem. É para que ela chegue, seja assimilada e caia em cada coração, que devemos trabalhar. Se perdemos este objetivo de vista, tudo o mais perde o sentido e será apenas mais uma exibição.

Vejamos alguns pontos importantes:

Construção do Texto

Todo teatro parte de um texto que, neste caso, pode ser uma passagem bíblica, um sociodrama (situações condizentes à realidade da criança), um conto infantil adaptado para atingir o objetivo catequético/evangelizador, uma história inventada, etc. Em alguns casos, torna-se necessário o papel do narrador. O importante é não esquecer de elementos que caracterizam o teatro infantil e atraem a atenção das crianças:
Dinamismo / Movimento / Participação do público;
Diálogos curtos com vocabulário de fácil compreensão;
Música/ sonoplastia / onomatopéias;
Suspense / surpresas;
Humor;
Fantasia / Figurino / Cenário sugestivo;
Curta duração.

O dinamismo e o humor não dispensam os cuidados que devem ser tomados para que não sejam cometidos abusos com o que é sagrado.

Mesmo não sendo um ator, todo catequista pode (e deve) usar o recurso do teatro. Aqui vão algumas dicas:

Desinibição

Descontração / Naturalidade / Não temer o ridículo / Sair de si para assumir o outro / etc.

Também não significa "ser ridículo", exagerado, extravagante, rir à toa, etc. Apenas assuma o papel.

Oficina: Você é Maria recebendo a notícia do anjo. / Você é Zaqueu, subindo na árvore. / Você é Golias..., tomando uma pedrada de Davi. / Você é Jonas, sendo engolido pelo peixe. / Todos nós somos as águas na hora da tempestade. / E agora, somos as águas da tempestade acalmada.

Improvização

Observar as várias possibilidades. / Fazer com o que se tem na hora. / Às vezes, basta um gesto ou um acessório. / Não cair na mesmice .

A improvisação requer conhecimento do todo e não pode atrapalhar a continuidade.

Expressão corporal

Corpo: Há inúmeras possibilidades de expressão. / O corpo fala : pelas mãos; pelos ombros; pelas pernas... Basta você começar a treinar! Chama-se "fazer laboratório".

Trata-se de observar gestos e detalhes para poder reproduzir. E, lembre-se "Não sou eu, é o outro."

Oficina: Você é um leão!/ Você é um soldado./ Você é um moleque levado! / Você é uma criança muito educada./ Você é um macaco! Você é uma árvore./ Você é um jovem, cheio de ginga. / Você é um velhinho cansado./ Você é uma velhinha irritada. Oficina: "Tempestade Acalmada"

Expressão facial

Rosto - cartão de visitas! Denuncia o que sentimos e até o que pensamos.
Observar no espelho as várias possibilidades de cada parte (sobrancelhas, olhos, boca, nariz...).

Oficina: Cara de assustado; cara de felicidade; cara de desconfiado; cara de muito irritado; cara triste; cara de nojo; cara de desanimado; cara de quem ama Jesus.

Expressão Vocal

Voz: canal por onde passam sentimentos/emoções. / É preciso evitar falas mecanicamente decoradas e procurar passar, pela voz, o sentimento presente: alegria, preocupação, tristeza, medo, segurança, dor... É preciso evitar vozes estridentes, que irritem os ouvidos ou prejudiquem a comunicação da mensagem. Usar pausas, quando necessário, para chamar a atenção, ou

- altos e baixos;
- graves e agudos, para variar de homem para mulher; de adulto para criança;
- usar onomatopéias, procurar imitar a voz dos animais.

Construção das Personagens

Construir uma personagem é somar todos os pontos acima e aplicá-los ao papel a ser desempenhado. E mais, é procurar caracterizar da melhor forma possível a personagem, através de figurino e/ou acessórios.

Obs.: O figurino não deve atrapalhar ou impedir o movimento e a expressão, pois já sabemos que o mais importante é a mensagem.

Modalidades de teatro

Há várias modalidades de teatro e, de cada uma delas, podemos aproveitar sugestões para usar o teatro na catequese.



Tradicional

Teatro formal: com texto, cenário, figurino, palco, tudo organizado. O público assiste, sem ter participação direta.

Vanguarda

Não há palco definido. Atores se misturam ao público; o público se desloca para onde ocorrem as cenas; grande capacidade de dinamismo e de atrair a atenção. O público também pode participar.

Mambembe

É o estilo versátil, que vai às ruas, praças, hospitais... É preciso prever que será preciso improvisar locais para apresentação, para armar cenário, para se vestir, etc.

Sociodrama

Dramatização de situações cotidianas. O texto é improvisado. Mediante a intenção daquilo que se quer transmitir, combina-se a situação e são distribuídos os papéis.

Bibliodrama

É a encenação de textos bíblicos. Para crianças, tais encenações são muito importantes, porém, são necessárias adaptações no vocabulário e condensação de passagens muito longas. É preciso evitar a apresentação de fatos bíblicos de difícil interpretação ou que exijam um conhecimento mais aprofundado da História da Salvação. Cabe repetir os cuidados que devem ser tomados para que não haja deturpação do sentido do texto.

Fantoches

Diálogos curtos. Falar bem alto, devagar e claramente. É preciso treinar o manejo. Quem maneja, não deve deixar nenhuma parte do seu corpo aparecer. Os demais bonecos se voltam para aquele que fala e só o que fala deve se mexer. A boca abre na mesma proporção da quantidade de sílabas.
Cuidado para que os bonecos não fiquem caídos sobre a cortina ou olhando para o alto! Há vários tipos de fantoches e você mesmo pode fazer um.

Cenário

O cenário, basicamente, pode ser composto por um painel ao fundo e por uma cortina. Um cenário mais completo contém móveis, árvores, objetos, divisórias, etc. Podem, também ser usadas placas, indicando lugares "IGREJA"; "CASA"; "FLORESTA".

O importante é que seja sugestivo, que ajude a transportar a criança para o local onde se passa a cena. Muitas vezes, uma simples mudança na arrumação, resolve.

Catequistas vocês já conferiram a página da CATEQUESE aqui do Blog? Se não, CLIQUE AQUI e me diga o que acharam. Ficou  mais organizado? Também tem a PESQUISA, quem não participou, é só CLICAR AQUI. Até mais pessoal!!!

Atividades Pedagógicas para o Natal









As atividades acima foram retiradas do blog da minha amiga Del, conheça o blog dela: CLIQUE AQUI

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Projeto Pedagógico para Educação Infantil



"A mensagem de Natal mais sublime é aquela que sai em silêncio do nosso

coração, todos os dias e aquece com ternura os corações daqueles que nos

acompanham"

Desejo a vocês um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de Paz, Amor, Saúde e

Amizade.


JUSTIFICATIVA:


Pretende-se conduzir uma série de atividades que facilitem a aquisição e construção

de conhecimentos das tradições de Natal pelos alunos de forma participativa,

descontraída, buscando integrar a perspectiva de diversas áreas.

OBJETIVOS:



• Conhecer o verdadeiro espírito de Natal.

• Estimular a formação de bons hábitos e o respeito às crenças, símbolos e

sentimentos alheios e a religiosidade de cada um.

• Identificar os símbolos do Natal.

• Desenvolver a linguagem oral.

• Desenvolver o raciocínio e a criatividade.

• Estimular a socialização.

DESENVOLVIMENTO:


• Texto informativo
• Relatos
• Leitura
• Pesquisas
• Cartas
• Bilhetes
• Poemas
• Músicas
• Orações
• Filmes
• Arte
• Quebra-cabeça
• Desafio
• Jogo da memória
• Recorte
• Colagem
• Caça-palavras
• Dramatização
• Cartões
• Painel coletivo
• Produção de texto
• Quadrinhas
• Máscara

CULMINÂNCIA:



• Dramatização do presépio.

• Festa de despedida com “Amigo oculto”.

• Festa de encerramento com a Chegada do Papai Noel.

• Números musicais e distribuição de surpresa.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Natal é a solenidade cristã que celebra o nascimento de Jesus Cristo. A data para sua celebração é o dia 25 de Dezembro, pela Igreja Católica Romana e, o dia 7 de Janeiro, pela Igreja Ortodoxa.

Após a celebração anual da Páscoa, a comemoração mais venerável para a Igreja é o Natal do Senhor e suas primeiras manifestações. Ainda sendo uma festa cristã, é encarado universalmente por pessoas dos diversos credos como o dia consagrado à reunião da família, à paz, à fraternidade e à solidariedade entre os homens.

Nas línguas latinas o vocábulo Natal deriva de Natividade, ou seja, referente ao nascimento de Jesus. Em inglês o termo utilizado é Christmas, literalmente "Missa de Cristo". Já na língua alemã, é Weihnachten e têm o significado "Noite Bendita".

Símbolos do natal

Fonte: sensibilidadeesabor.com.br



.....Apesar de toda a correria que representa esta época do ano, com a compra de presentes, projetos que precisam ser finalizados, e a preparação de uma recepção para as pessoas mais intimas, onde todos se deixam contagiar pelo calor humano, mais do que nunca, impera o esmero na elaboração do visual e do paladar.
.....Relaxe, coloque na ocasião tudo o que sabe sobre sensibilidade e sabor, receba a família e os amigos com o coração aberto, abraçando-os em cada detalhe, deixe-os à vontade, e a sua recepção será um sucesso.
.....Antes do nascimento de Jesus, já existia uma comemoração pagã ao “Retorno do Sol”, que homenageava o fim do inverno, e era celebrada em datas variadas ao redor do mundo.
.....No século 4 ªC, o Papa Julius I, com a intenção de substituir os rituais pagãos por festas cristãs, fixa a data da celebração para o dia 25 de dezembro, (data esta que se estabeleceu com a troca do calendário Juliano pelo Gregoriano).
.....A celebração do Natal é repleta de símbolos, que fizeram desta tradição uma das festas mais ornamentadas.

BOLAS


.....Por seu formato e colorido, as bolas simbolizam o fruto da “árvore da vida”.

DICAS:
.....Além de ser possível encontrar uma enorme variedade de cores e formatos de bolas, você pode dar-lhes um toque pessoal usando a sua criatividade.
.....Compre pinhas, ou encontre-as no chão em baixo de pinheiros e pinte-as de várias cores, com spray dourado ou prateado, ou cubra-as com spray de neve.
.....Pinte bolas de isopor, usando os mesmos recursos que para as pinhas.
.....Faça bolas de origami.
.....Use laranjas cujo cabinho tenha sido mantido.

MEIAS NA CHAMINÉ
.....Conta a lenda, que três moças não podiam casar, porque na época era indispensável um dote, e elas não dispunham de um, para tal, São Nicolau, (o santo que inspirou o personagem de Papai Noel), comovido com a situação, resolve jogar três sacos de moedas pela chaminé da casa das moças. Os sacos caíram dentro das meias das moças, que estavam secando na lareira.

DICAS:
.....Corte pedaços de pano no formato de meia e costure os pares. Borde o nome de cada criança, e recheie as meias com balas e chocolate. Depois pregue-as ou cole-as na parte superior da lareira.
.....Você pode pegar a própria meia da criança, e incrementá-la com laços, fitas, ou bordados que já vêm prontos para colar, (podem ter tema de natal, algo que se identifique com a criança, ou a inicial do nome).

PAPAI NOEL


.....Diz a lenda que em Myra (hoje Turquia), 300 ªC, morava Nicolas, o qual distribuía presentes na época do natal. Quando seu pai morreu, Nicolas tornou-se padre, e mais tarde bispo, quando passou a vestir roupas e chapéu vermelhos, (e barba branca). Quando morreu, a Igreja canonizou-o, e assim esta imagem transformou-se num símbolo das comemorações natalinas.

COMO É CHAMADO O PAPAI NOEL EM VÁRIOS PAÍSES:
Alemanha: Kiss Kringle (criança do Cristo)
Canadá: Santa Claus
Dinamarca: Juliman
Espanha: Papa Noel
Estados Unidos: Santa Claus
Finlândia: Joulupukki
França: Pére Noel
Holanda: Kerstman
Inglaterra: Father Christmas
Itália: Belfana ou Papa Natal
Japão: Jizo
Rússia: Baboushka
Suécia: Jultomten


DICAS:
.....Natal com crianças pede Papai Noel. A roupa pode ser alugada, ou comprada em grandes magazines ou em lojas especializadas. Os presentes das crianças devem estar dentro do saco do Papai Noel, identificadas com o nome de cada um, e ser entregues por ele mesmo.

PINHEIRO



.....Existem várias teorias para explicar porquê o pinheiro se tornou a árvore símbolo do natal, na maioria dos países onde este se comemora:
.....Conta a história, que quando Jesus nasceu, perto do estábulo onde ele se abrigava, havia três árvores que resolveram também presenteá-lo. A palmeira escolheu a maior e mais bela palma, e fez dela um abano para o menino. A oliveira ofereceu o suave e perfumado óleo, para amaciar os pés do menino. E finalmente, o pinheiro, já tristemente conformado com a idéia de que não tinha nada a oferecer, pois suas folhas eram como agulhas, e poderiam machucar o menino, percebe que muitas estrelas tinham pousado em seus galhos, iluminando-o de tal forma, que o olhar de Jesus não podia resistir à beleza desta arvore, (por isso até hoje o pinheiro é enfeitado com muitas luzes).
.....Alguns autores atribuem a existência da árvore de Natal, anterior ao cristianismo.
.....Na Saturnália (festival realizado no inverno em homenagem a Saturno, deus da agricultura), os romanos enfeitavam suas casas com pinheiros.
.....Diz a lenda, que o pinheiro foi escolhido como símbolo do Natal, devido à sua forma triangular, onde se representa a Santíssima Trindade.
.....A árvore de Natal, no contexto em que se insere hoje, tem sua primeira referência registrada em Strasbourg, Alemanha, no século XVI, quando todas as famílias, independente do seu poder aquisitivo, decoravam os pinheiros com papeis coloridos, frutas e doces. Após espalhar-se por toda a Europa, esta tradição chega ao continente americano em 1800.
.....A rainha Elizabete, da Inglaterra, por ocasião do Natal em que oferecia uma grande festa, e recebia numerosos presentes, pediu que estes fossem depositados em baixo de um pinheiro que havia no jardim.
.....O pinheiro é a única árvore que não perde as suas folhas, seja qual fôr a época do ano.

Advento



Encontro de catequese com o tema Advento, e dinâmicas.


PREPARANDO O ADVENTO
ADVENTO: UM TEMPO ESPERADO
Iniciamos o ano 2000 com muitas expectativas. Muitos eventos, realizações, reflexões aconteceram. Agora, estamos nos preparando para celebrar o último natal deste milênio. O grande motivo do jubileu são os 2000 anos da humanidade de Deus. Em Jesus, Deus entra definitivamente na nossa história.
O advento nos ajuda a pôr os pés na estrada e ir ao encontro daquele que vem. O tempo do Advento é o tempo da “manifestação do Senhor”. São três etapas definidas:
• a preparação, no período denominado, Advento;
• a celebração, centralizada nas cerimônias do nascimento do Senhor;
• tempo de manifestação pública, marcado pela Festa da Epifania.
Vamos entrar no Advento em clima de esperança, trazendo presente que todas as pessoas, pobres, ricos, crianças, jovens, adultos, idosos, estão sempre buscando a felicidade, manifestada em anseios de mais amor, compreensão, ternura, acolhida, mas também casa, comida, saúde... Na esperança, ainda, de que justiça e paz se abracem e que todos os povos esqueçam as guerras, as diferenças, os confrontos e que possam caminhar para uma maior reconciliação.
1.º DINÂMICA
Advento é tempo de acolher a Deus e os irmãos em nossa vida. Para isso, é preciso manter-se vigilante e lutar contra atitudes que desfavorecem o crescimento da alegria, concórdia, partilha, perdão... É preciso manter-se unido na defesa de qualquer irmão ameaçado.
1) Trazer jornais e escolher tudo o que inspira esperança, vida...
Com figuras, formar um painel com a Palavra NATAL. Recortar bolas para colorir o painel. Nas bolas expressar, em palavras, como sonhamos festejar o Natal. Ex.: vida, justiça, igualdade... Lembrando que a melhor festa é aquela que preparamos. Deus é festa. Deus é esperança. Deus é razão de nossa esperança,...

2.º DINÂMICA
2) Usar frases do tempo do Advento para fazer uma reflexão e construir algumas práticas e propostas.
A) “Levantem-se e ergam a cabeça, porque a libertação de vocês está próxima”(Lc 21, 28).
• Diante de que precisamos erguer a cabeça?
• De que maneira podemos criar coragem e erguer a cabeça diante de situações onde a vida é ameaçada?
B) “Tomem cuidado para que os corações de vocês não fiquem insensíveis” (Lc 21, 34).
• Quando e como o nosso coração é insensível?
• Qual o remédio para torná-lo sensível?
C) “Cresça o amor entre vocês” (1Ts 3, 12).
• É o amor a atitude fundamental em nossa vida? Por que sim? Por que não?
• Que práticas podemos sugerir para vivenciar o amor preparando-nos para o Natal?
D) “Foi nesse tempo que Deus enviou a sua Palavra a João” (Lc 3, 2).
• Como é que Deus está falando, hoje?
• Com quem Ele pode estar falando?
• Aonde ele está falando? Em que fatos?
• Eu o escuto falando na minha vida? Como?
E) “Esta é a voz daquele que grita no deserto; preparem os caminhos do Senhor” (Lc 3, 4).
• Quais são, hoje, os grandes desertos, onde predomina a surdez, a indiferença, a aco- modação diante do valor da vida e da fé?
• Que sinais poderíamos criar para fazer o deserto florir?
F) “Deus está no meio do povo e vem para renovar o seu amor. Não tenha medo e nem se acovarde, pois, Ele é o libertador” (Sf 3, 16-17).
• É tempo de preparar a festa, porque ele vem. Que tipo de festa Deus quer?
• Como preparar bem esta festa?
G) “Maria partiu às pressas dirigindo-se a uma cidade da Judéia, entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel” (Lc 1, 39-40).
• Maria e Isabel se encontram e partilham os mesmos sonhos e a mesma missão.
• Como são nossos encontros entre amigos, familiares? Eles criam um relacionamento fraterno, de respeito, de igualdade, amizade, ajuda, compreensão...? Como?
• Com quem precisamos nos encontrar para uma verdadeira reconciliação? Que propos tas temos?
As respostas podem ser criativas:
• Em forma de Happ, ou música popular.
• Desenhos animados ou em quadrinhos.
• Teatro ou música.
• Dança com gestos.
• Colagem de figuras.
• Trabalho em argila, ou massa.
• Palavras em faixas.
• Uso de fantoches.
• Uso de símbolos desenhados ou reais.
• Mensagens escritas em forma de cartões.
3.º DINÂMICA
3) Maria é uma figura central na caminhada para o Natal.
Diz o anjo: “Não tenha medo, Maria, pois você encontrou graça diante de Deus” (Lc 1, 30).
Maria representa todos os que confiam em Deus e nele prosseguem sem medo. Representa ainda os que percebem os sinais da presença amorosa e fiel de Deus em todos os tempos.

• Fazer o grupo recolher símbolos expressan do os sinais da presença amorosa de Deus. A cada apresentação pode-se repetir um refrão: “Minha alma proclama a grandeza do Senhor” (Lc 1, 46).
1.º Água – representa a vida do nosso povo que continua lutando por casa, comida...
2.º Plantinha verde – significa a esperança de ver as crianças crescendo com saúde, educação...
3.º Mãe grávida – vida nova a ser gerada, sinal da presença amorosa de Deus.
4.º Velas coloridas – a alegria da espera da festa, porque o Senhor vem.
5.º Flores – o colorido da natureza, presente e gratuidade de Deus.
6.º Pão – pão que sacia a fome da acolhida, partilha e igualdade.
7.º Cesta com frutas e produtos da terra – sig- nificando serviço, trabalho, suor de tantos trabalhadores e trabalhadoras e o sonho da multidão dos “sem terra”. Outros...
4.º DINÂMICA
Maria continua presente nos pequenos fatos contados pelo Evangelho.
Ela é que sai de seu lugarejo e vai às pressas à casa de Isabel.
Tempo do Advento é tempo de ficarmos todos, como Maria e Isabel, atentos ao que Deus nos pede, até nas pequenas coisas do nosso dia-a-dia.
Hoje, na corrida da vida, nem percebemos quem vai ao nosso lado.
Maria, porém, tem pressa para ir ao encontro de sua prima, que precisa de ajuda, companhia, carinho, atenção...

a) Ler o texto do Evangelho de Lc 1, 39-45.
b) Dramatizar ou contar com as próprias palavras o texto.
c) Vestir duas mulheres que representem Isabel – idosa, Maria – jovem.
Isabel espera João Batista, Maria espera Jesus. Isabel gerou o último profeta, Maria, gerou aquele que todos esperavam, o Salvador do mundo, o Filho de Deus.
Pode-se fazer uma entrevista às duas mulheres refletindo sobre a grandeza, a generosidade, o mistério, o maravilhoso, a ternura de Deus para com seu povo, através de João Batista e de seu Filho Jesus.
Deus realiza grandes obras através dos pequenos.

Consultar os textos:
- Lc 3, 1-20; Lc 1, 26-56; Lc 1, 57-80.
5.º DINÂMICA
Maria tem pressa, não para fazer compras, nem para ir a um baile, nem para fofocas com as vizinhas, nem para investir seu dinheiro no banco, ou na bolsa de valores de Jerusalém.
Ela tem pressa para encontrar-se e partilhar sua experiência de ser mãe com outra mãe, Isabel.

PARA REFLETIR
• A nossa pressa é só para comprar, consumir?
• A nossa pressa é para encontrar-se e melhorar as relações entre pais, filhos, amigos, vizinhos, colegas de trabalho... com Deus?
• A nossa pressa é para praticar a solidariedade com as dores, inqui- etações, necessidades humanas?
• A nossa pressa é para encontrar-se, festejar, celebrar, alegrar-se, abra- çar-se, trocar afetos, reconciliar-se...?
• A reflexão pode ser feita, após a apresentação em forma de Teatro.
• Cada participante, ou em grupo, pode desenhar tipos de encontros mais freqüentes e dizer o que mais agrada. Nosso encontro com o aniversari- ante Jesus, como será? Fazer uma partilha.
Em cada encontro podemos sempre ser, através de nossa vida, uma boa notícia: no acolhimento dos irmãos, na busca da reconciliação, na valorização dos pequenos gestos, no testemunho de confiança, na luta por mais vida, no crescimento da fé.
Advento é convite para preparar bem a grande festa do aniversariante: Jesus Cristo. Nesta festa há lugar para os que forem capazes de construir relações igualitárias, onde ninguém ficará à margem, mas todos serão convidados a entrar na ciranda e cantar, dançar, pular, porque a salvação do nosso Deus chega a toda a humanidade e se torna vida na acolhida fraterna entre irmãos e irmãs.
Ir. Marlene Bertoldi

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Para descontrair um pouco...


Olha só o Joãozinho aprontando mais uma vez, êêêê Joãozinho danado rsrsrsrsrs.


Joãozinho chega em casa e diz:


_ Pai, na hora que eu entrei no ônibus pisei sem querer no pé de uma velhinha, pedi desculpas, e ela me deu um doce dizendo que eu era muito educado.




_ Que gentileza dela, filho. E você?


_ Aí eu pisei de novo pra ver se ganhava outro doce!

Presente de Natal

Desenho de Natal para colorir

Catequistas, vocês podem trabalhar da seguinte forma: Vocês pedem as crianças para escrever dentro do coração tudo aquilo que eles gostaria de ganhar neste natal, mas nada de presente material (carrinho, boneca, vídeo game, entre outros), por que se não eles vão colocar só isso, claro. Vocês dizem a eles, para pedir aquilo que eles mais sentiram falta este ano, algum sentimento, ou alguma coisa que faltou na vida deles, ou na família, e por aí vai. Eu já fiz está experiência, e saíram os seguintes desejos: Eu gostaria que meu pai morasse comigo de novo, eu gostaria que minha mãe voltasse (a mãe que já faleceu), eu gostaria que meu pai parasse de beber, eu gostaria que minha mãe parasse de fumar, e por aí vai...
Talvez a realidade das turmas de vocês podem ser diferentes da minha, eu por exemplo dou catequese em uma comunidade carente, e talvez por isso posso me deparar com problemas assim.
Depois dos presente preenchidos, dê as crianças tempo para colorir, e diga a elas para colorir o embrulho da mesma forma que elas gostaria de receber o presente. Uma criança por exemplo da minha turma coloriu o desenho com uma cor tão clara que mal dava para perceber  se tinha colorido ou não, perguntei a ele se queria uma caixa de lápis de cor emprestado, ele me disse que não, que os lápis dele são bons, ele que queria deixar o embrulho transparente, por que assim o Papai Noel via logo o que ele precisava. Viram pessoal, a inteligencia do pequenino? E ainda tem adultos que os menosprezam, acham que criança não sente as coisas, "infeliz do adulto que pensa assim".
No final levei para casa, para ler todos com calma, e no próximo encontro, levei-os de volta e fizemos uma reflexão sobre o assunto, fizemos um momento de oração em volta dos presentinhos coloridos e em seguida coloquei fogo mas cartinhas. As crianças ficaram espantadas, devem ter pensado que o catequista estava doido, mas aí disse a eles que já tínhamos oferecidos a Deus os nossos pedidos através das orações, e que através das orações que pedimos e agradecemos, e todos aqueles pedidos que surgem através de problemas, de tristezas, foram queimados, para que de vez eles virem cinzas, e deixem de existir em nossas vidas.

Bom pessoal, fica aí a dica. Quem fazer me conta depois ok?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...